segunda-feira , 23 outubro 2017
Home / Lazer / [Fotos] Muzenza agita o domingo na segunda edição do projeto Concha Negra
Foto: Camila Souza/GOVBA

[Fotos] Muzenza agita o domingo na segunda edição do projeto Concha Negra

A Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA) foi tomada por um espetáculo de cores, música e dança, neste domingo (8). Na segunda edição do projeto Concha Negra, promovido pelo Governo do Estado, o bloco afro Muzenza, com participação especial dos cantores Saulo e Chico César, deu um show e envolveu o público com a força e beleza da estética afro baiana. A abertura ficou por conta do desfile de moda das marcas N black e Afrobapho, que destacam o empoderamento.

Para o presidente do Muzenza, Jorge Santos, o Concha Negra promove a diversidade e fortalece a cultura negra baiana fora do período do Carnaval. “Ao garantir o espaço para os blocos afro num dos maiores complexos culturais da Bahia, estamos garantindo a diversidade. Foi uma iniciativa muito acertada. Estamos muito felizes e satisfeitos. É um suporte acima de tudo para a cultura baiana, que é muito necessário não é apenas no Carnaval, mas durante todo o ano”.

O público vibrou com a oportunidade de curtir o show do Muzenza na Concha Acústica. Para o enfermeiro, Diego Guimarães, a iniciativa ajuda a aproximar os blocos afros do público mais jovem. “Os nossos blocos são patrimônios culturais da Bahia e devem ser preservados. O mais interessante desse projeto é que, por acontecer na Concha, com todo o acesso que esse palco histórico possui, os mais jovens que ainda não conhecem a importância que esses blocos têm para a valorização de nossa identidade negra, podem conhecer a música e a tradição. É louvável qualquer iniciativa que protege nossa cultura”.

O projeto Concha Negra é realizada por meio das secretarias estaduais de Cultura (SecultBA) e de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi); do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e do próprio TCA. Para o cantor Saulo, a cultura baiana sai vencendo com o projeto. “São grupos e artistas com uma importância muito grande para nosso estado e ações como essa garantem a continuidade das nossas tradições e da essência de nossa música e cultura”.

Os blocos afros convidados são remunerados com cachê fixo e ainda recolherão o valor arrecadado em bilheteria. “O Governo do Estado forneceu toda parte necessária para que os blocos possam fazer o show, estrutura de som, de luz, telão. Dessa forma, conseguimos que os ingressos tivessem um preço popular e atrativo para que as pessoas venham prestigiar esses símbolos da nossa cultura”, explica a diretora artística do TCA, Rose Lima.

Programação

O Afoxé Filhos de Gandhy fizeram o show de abertura do Concha Negra, no dia 17 de setembro. Após do Muzenza, neste domingo (8), estão na programação o Ilê Aiyê, no dia 19 de novembro; o Cortejo Afro, no dia 17 de dezembro; Olodum, no dia 7 de janeiro de 2018; e Malê Debalê, no próximo dia 4 de fevereiro. Os shows acontecerão sempre aos domingos, às 18h, com ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).


Repórter: Tácio Santos

Comentários com Facebook

comentários

Veja Também

Residente em pediatria está entre os oito presos na Bahia em operação contra pedofilia

Residente em pediatria está entre os oito presos na Bahia em operação contra pedofilia. Parte ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Compartilhe o link, os ipitangueiros agradecem!